Como Escolher Seu Imóvel ou Sua Casa Própria?

3,853

Na hora de escolher a tão sonhada casa própria, é preciso prestar atenção para que o sonho não se transforme em pesadelo. Detalhes aparentemente imperceptíveis como a situação hidráulica do edifício ou o cifão que fica embaixo da pia podem ser tão importantes quanto uma boa ventilação. O engenheiro Flávio Figueiredo, da consultoria Daniel & Figueiredo, especializada em avaliações e perícias técnicas, acredita que as pessoas interessadas em um apartamento em geral não se preocupam em verificar as reais condições do futuro “lar doce lar”.

Cada tipo de imóvel precisa de certos cuidados específicos e, segundo Flávio, é sempre necessária a opinião de um engenheiro ou arquiteto registrado no CREA. “O corretor é só um intermediário do negócio, não tem habilitação para inspecionar”, explica ele.

Visite o imóvel mais que uma vez, em vários horários e dias, para ter uma idéia de como é a região. converse com outros moradores do bairro, ou do prédio, para uma opinião sobre a localização e estado de conservação da propriedade. Convide um engenheiro ou arquiteto amigo para avaliar o estado de conservação do imóvel e do prédio, no caso de apartamentos, muitas vezes ao materiais usados na construção não são bons e, apesar de novo, o imóvel vai acabar exigindo muita manutenção;

É preciso também verificar se a construção foi bem feita. “Às vezes, um apartamento novo já apresenta problemas de difícil solução, como infiltrações”, diz Flávio. A arquiteta Bianca Pestce alerta que o interessado deve perguntar qual a construtora responsável pela obra, em primeiro lugar, e pesquisar o histórico da mesma.




Também é preciso descobrir quantos anos tem o prédio. Ele pode não ser tão novo assim, apesar do preço de recém-construído. “Há outros detalhes, como as esquadrias das janelas. Se elas não estiverem bem fixas, há o risco de uma chuva alagar tudo”, alerta ela.

A maioria das pessoas não possui um saldo bancário suficiente para comprar uma casa à vista, e dessa forma são obrigadas a financiar boa parte do valor do imóvel. Neste sentido, a recomendação é que você nunca comprometa mais de 25% de seu orçamento com as prestações do financiamento. Se a sua família já está definida e você decidiu comprar um apartamento que atenda a suas necessidades nos próximos 10 anos, o próximo passo é definir um valor que caiba dentro do seu orçamento.

Muitas vezes ficamos deslumbrados ao pesquisar imóveis junto com corretores, que sempre oferecem oportunidades acima de nosso orçamento. Algumas delas ultrapassam apenas 20% ou 30% de valor estipulado e acreditamos que essa diferença não trará um grande impacto para nossas finanças. Mas trará. Acabaremos aumentando o valor financiado e “engessando” nossa flexibilidade financeira. Lembre-se que a casa própria não é a única prioridade na vida de uma família. Seus filhos chegarão à época da faculdade e nesse momento você deverá ter economizado o suficiente para bancá-los, por exemplo.

Flávio acredita que, em geral, as pessoas que vão conhecer apartamentos antigos preferem os “bonitinhos”, que aparentemente não precisam de muitas obras, mas isso pode ser um engano. “Há casos em que trocar o piso fazer e uma boa pintura já é o suficiente para tornar o lugar habitável, mas ninguém pensa nisso ao ver paredes descascadas e tacos soltos”, lembra. Bianca diz ainda que, se a localização do imóvel for boa, vale a pena gastar um pouco mais com uma reforma, desde que o valor pedido seja razoável.

Imóvel na planta
Neste caso, é necessário que um técnico examine as plantas para ver se tudo o que a construtora promete de fato está planejado. Fora isso, o especialista pode avaliar se aquela vista espetacular é mesmo para sempre ou se há risco de um arranha-céu ser construído bem na frente e obstruir a bela paisagem.

Há outras dicas que Bianca e Flávio consideram importantes para a maioria das situações. “A maioria dos problemas podem ser detectados por qualquer pessoa atenta”, afirma a arquiteta. Seguem as sugestões:

- Analisar a infra-estrutura do local: abrir as torneiras e os chuveiros, puxar a descarga, ver se o cifão embaixo da pia está em ordem. É preciso saber se o encanamento está em ordem e se os ralos dão vazão ao volume de água.

- Observar os quadros de luz para ver a condição dos disjuntores. Além disso, é preciso acender as lâmpadas e ver se todas as tomadas funcionam.

- Bater nos móveis, caso existam, e em qualquer superfície de madeira. Se soltar pó, é um indício de cupins no local.

- Averiguar se o imóvel tem dívidas. Isso é possível pedindo ao atual proprietário um documento chamado Certidão de Ônus Geral. Em casos de documentação como um todo, vale a pena consultar um advogado.

- Perceber se a boa aparência do local significa que está realmente em boas condições ou é apenas uma tentativa de “maquiar” os problemas.

Se tiver dúvidas deixe um comentário! Veja Também...

Poste um comentario