OS MITOS DA ALIMENTACAO

17,694


Num dia, a gordura faz mal. No outro, não é tão ruim assim. Dizem que o chocolate é um inimigo da boa alimentação, mas que também pode ser um aliado. O ovo, então, já foi promovido a herói tantas vezes quanto foi rebaixado a bandido. Manga com leite (onde já se viu?) mata e ficar em jejum é ótimo para emagrecer. É, a história dos alimentos e das dietas é mesmo recheada de muita informação trocada. Mas, para você comer com saúde e, é claro, sem medo e peso na consciência, alguns dos principais mitos da alimentação a gente desvenda aqui. Bloquinho e cardápio à mão. Preparada? Anote aí!



Os mitos dos alimentos

1) Frutas do bem ou do mal?

Tem um ditado que diz que “comer frutas de manhã é ouro, à tarde é prata e à noite mata”. Mas, segundo o nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran), isso é uma inverdade científica. “No passado, os escravos quase não comiam frutas porque os capatazes não permitiam e não porque fazia mal”, explica o médico. Portanto, essa história de que manga com leite mata e limão afina o sangue é puro mito. “Senão ninguém tomaria sorvete de manga, feito com a fruta e batido com leite. Na verdade, a única restrição é em relação à manga verde, que é indigesta”, completa. Quanto ao limão, mesmo ácido, ele não afina o sangue. “Pelo contrário, faz bem. Contém minerais, vitaminas, fibras, entre outros”, diz Durval.

Outra vítima das más línguas é o coco. Mas, atenção: “Água de coco não engorda! Já o coco, em si, tem teor calórico mais alto. Só que, em pequenas quantidades, não há problema consumí-lo”, avisa o nutrólogo Durval Ribas. “A cocada, sim, é proibida!”, brinca, já que ela leva muito açúcar e leite condensado.


2) Certos alimentos como berinjela, sopa de repolho, suco de limão e abacaxi podem queimar gordura e fazer perder peso rapidamente.

Alto lá! “Não há alimentos que queimam gorduras”, enfatiza a nutróloga Ellen Simone Paiva, diretora do Centro Integrado de Terapia Nutricional (Citen). “Tudo que comemos é metabolizado pelo organismo, causando um gasto energético. Mas isso, ao contrário do que se imagina, não faz perder de peso”, explica. Só se perde peso com as sopas porque elas são refeições pouco calóricas. Já a fama do abacaxi é devido à presença da bromelina, uma enzima que auxilia na digestão de gorduras e proteínas, favorecendo o processo digestivo, mas não queimando gordura.


3) Azeite de oliva X manteiga X margarina

Até os anos 80, o azeite de oliva era recomendado com moderação. Além de ser altamente calórico, dizia-se que a fritura poderia causar câncer. Mas ficou comprovado, mais tarde, que ele ajuda a prevenir o infarto. “A versão extra-virgem do azeite é a mais saudável. Hoje, inclusive, recomenda-se seu uso como alternativa à manteiga e à margarina”, afirma Flávia Bulgarelli. Isso porque, apesar de a margarina ter sido reconhecida por um bom tempo como melhor do que a manteiga, sabe-se, agora, que as duas estão praticamente empatadas no quesito ‘mal à saúde’. “Algumas margarinas ainda contêm gordura trans, que entope as artérias”, alerta Flávia. Por isso, olhe bem o rótulo antes de sair colocando qualquer coisa no carrinho do supermercado. Opte por produtos livres de gordura trans, mais saudáveis porque não interferem no colesterol. “Geralmente as margarinas cremosas não contêm esse tipo de gordura, mas as lights sim, porque passam por um processo industrial que promove a formação dos ácidos graxos trans”, revela o nutrólogo Durval Ribas.

Se for escolher entre o pão integral e o branco, prefira o integral. Na verdade, ambos têm a mesma quantidade de calorias, ao contrário do que muitos acreditam, mas a vantagem é que o integral apresenta mais fibras. Elas contribuem para a saciedade e melhoram o funcionamento do intestino. Já o pão árabe, apesar de ser maior do que o pão francês, tem menos quantidade de farinha. É, portanto, menos calórico. “Uma unidade pequena possui 90 calorias. Seria a mesma coisa que ingerir um pouco mais do que meio pão francês”, explica Flávia.

4) A dupla de pretinhos

Acreditava-se que o café pudesse causar hipertensão e doenças do coração. Isso ainda vale para os que o consomem em muita quantidade. “No entanto, sabe-se que a moderação no consumo faz da bebida um aliado da saúde, principalmente do coração”, enfatiza Flávia Bulgarelli.

Altamente calórico, o chocolate também sempre foi visto como o vilão das dietas. Mas a grande descoberta são os benefícios do chocolate amargo, rico em substâncias antioxidantes, os polifenóis, que protegem nosso corpo de problemas no coração e até de câncer. O nutrólogo Durval Ribas traz outro alívio: “Não há pesquisa científica que comprove que a guloseima cause acne. O que acontece, aí sim, é que o óleo ou gordura em grande quantidade estimulam a oleosidade da pele. Mas o chocolate, em si, nada tem a ver com as espinhas”, tranqüiliza. Ele recomenda 40 g de chocolate amargo por dia.

5) Ovo

A gema era considerada prejudicial à saúde e poderia aumentar o colesterol ruim no sangue. Nos últimos anos, porém, foi descoberto que o aumento desta taxa depende de características individuais. “Entre as pessoas saudáveis, o consumo de um ovo por dia não faz mal”, garante a nutricionista Flávia Bulgarelli. “Ele é um alimento nobre, com proteínas e grande quantidade de aminoácidos”, completa Durval Ribas.

6) Quem quer pão?

Se for escolher entre o pão integral e o branco, prefira o integral. Na verdade, ambos têm a mesma quantidade de calorias, ao contrário do que muitos acreditam, mas a vantagem é que o integral apresenta mais fibras. Elas contribuem para a saciedade e melhoram o funcionamento do intestino. Já o pão árabe, apesar de ser maior do que o pão francês, tem menos quantidade de farinha. É, portanto, menos calórico. “Uma unidade pequena possui 90 calorias. Seria a mesma coisa que ingerir um pouco mais do que meio pão francês”, explica Flávia.

7) E macarrão?

“Comer macarrão não engorda, desde que o molho seja leve, como, por exemplo, molho de tomate fresco”, esclarece a nutricionista Flávia Bulgarelli, que recomenda: “Sempre acompanhe a massa com um alimento fonte de proteína (frango, peixe, carne ou ovo) e alimentos ricos em fibras (verduras e legumes)”. Desse modo, a refeição fica balanceada e só trará benefícios.

8) Castanhas, avelãs e amêndoas

São do grupo das oleaginosas, mal visto por algumas pessoas devido ao alto valor calórico. Entretanto, elas são essenciais na alimentação, porque contêm um tipo de gordura saudável - as insaturadas, como ácidos graxos, monoinsaturadas e poliinsaturadas. “Castanhas, amêndoas e avelãs ajudam a diminuir o LDL- colesterol (colesterol ruim) e a aumentar o HDL-colesterol (colesterol bom), prevenindo, assim, doenças cardiovasculares. Costumo sempre recomendar o consumo de três unidades por dia”, afirma a nutricionista.

9) O mito da carne vermelha

Dizem que comer carne vermelha é ruim para a sua saúde, mas ela é um componente muito importante do cardápio, não devendo ser abolida do menu. “Ela contém ferro em sua forma mais fácil de absorção”, afirma Ellen Paiva. “Os riscos para a saúde são o fato de algumas serem fontes de gorduras saturadas, em geral, e de colesterol, em particular. Nesses casos, são muito calóricas também”, esclarece.

10) Gás: celulite na certa

Meninas, pasmem, não é o gás dos refrigerantes que causa as temíveis celulites. Pois é, não tem jeito, o refrigerante é mesmo um vilão, mas por causa da alta concentração de açúcar! Sim, é ele que, segundo o nutrólogo Durval Ribas, favorece o surgimento dos infiltrados de gordura. Portanto, pode continuar consumindo sua água com gás à vontade. “Quando estiver fora de casa, a água processada com gás é até preferível, porque sabemos que ela não vem da torneira”, aconselha Durval.

Quatro mitos do dia-a-dia

1) Pular refeições é uma boa forma de emagrecer

Definitivamente não. “Permanecer em jejum por um longo período de tempo é prejudicial em vários aspectos. Primeiro: dificilmente vamos conseguir comer de forma correta na próxima refeição, uma vez que certamente estaremos com muito mais fome e seremos menos seletivas na escolha do que comer. Segundo: nosso organismo reage ao jejum com a redução do gasto calórico, conseqüentemente dificultando a perda de peso”, esclarece a nutróloga Ellen Simone Paiva.

2) Comer depois de oito horas da noite engorda

Segundo Ellen Paiva, não há nenhum estudo criterioso que confirme essa idéia, assim como é polêmica e infundada a suspensão do carboidrato do jantar. “O maior problema é o excesso de alimentos à noite e sua influência na qualidade da digestão e do sono noturnos”, esclarece a nutróloga.

3) “Pouca gordura” ou “sem gordura” significa que o alimento não tem calorias

“Os alimentos sem gorduras ou com baixo teor de gorduras têm menos calorias, mas não significa que não contenham calorias”, alerta Ellen Paiva. Ela conta que, geralmente, as gorduras são os macronutrientes mais calóricos (9 calorias/grama) quando comparadas às proteínas e carboidratos (4 calorias/grama).

4) É preciso se forçar a beber água

É recomendado beber de seis a oito copos de 200 ml por dia, mas não adianta forçar. “Quem pede água é o organismo”, garante o nutrólogo Durval Ribas. “O excesso pode, inclusive, diluir o sangue”, completa. Segundo ele, é possível também repor líquidos através de sucos de frutas. Mas, atenção, eles são calóricos, enquanto água, não! Aliás - comemore! - beber durante as refeições não engorda, mas o excesso pode dilatar o estômago. Além disso, os líquidos ingeridos diluem o suco gástrico, tornando a digestão mais longa. Assim, é preferível beber pouco quando se come e mais entre as refeições.

Pronto! Livre de dúvidas, agora você está preparada para montar um cardápio saudável. Lembre-se de deixá-lo variado, equilibrado e nem pense em adotar dietas radicais caso esteja pensando em emagrecer. “A perda de peso duradoura só ocorre com dietas balanceadas e conhecidas de todo o mundo acadêmico”, diz a nutróloga Ellen Paiva, que recomenda fugir das dietas da lua, do sol e por aí vai. “É importante, também, moderação. O exagero é que engorda!”, completa a nutricionista Flávia Bulgarelli. Crie o hábito de tomar um café da manhã rico e saudável, se alimente de três em três horas, mastigando os alimentos muito bem e voilà: muita saúde!

Se tiver dúvidas deixe um comentário! Veja Também...

  1. 5 respostas to “OS MITOS DA ALIMENTACAO”

  2. Por janio Em Set 29, 2010 | Responder

    Muito bom,
    Parabens pela materia e esclarecimento. Acho que estes conhecimentos deveriam ser cobrados em sala de aula,pois so assim, quem sabe os jovens deixariam de lado o habitode comerem ( chips e outros fast foods ) nao saudavel a saude, mais uma vez, Parabens.

  3. Por Armando Yodi Em Fev 11, 2011 | Responder

    Dizem que ovo com manga faz mal é verdade?

  4. Por Ednaldo Em Mai 29, 2011 | Responder

    Gostei, e gostaria de receber informações maiores sobre alimentos que previnem e que curam.

  5. Por JULLI Em Nov 3, 2012 | Responder

    COMER OVO E DEPOIS COMER MANGA FAZ MAL

  6. Por Carlos Pedro Neto Em Jan 2, 2013 | Responder

    Isso ajudou-me bastante sobre alguns mitos da alimentaçao,mas o que preciso saber mesmo,é acerca da manga,sera que faz mal ao ipertenso?

Poste um comentario