Ansiedade: desvende as causas, os tipos de transtorno e as soluções

10,017

O psiquiatra do Ambulatório de Ansiedade do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, Tito Paes de Barros Neto, afirma que 25% da população sofre de algum transtorno de ansiedade.

Existem vários tipos: transtorno do pânico, transtorno generalizado, transtorno obsessivo, transtorno compulsivo, fobias específicas e transtorno de estresse pós-traumático são alguns deles. Os dois primeiros são os mais comuns.



Sintomas

Na ansiedade generalizada, os sintomas são tontura, tensão muscular, dor de cabeça e medos. Por exemplo: receio de ser demitido, medo das reuniões ou de não atingir o resultado esperado pelo chefe. O pior desse tipo de ansiedade é que está associado à depressão e ao abuso de substâncias, como drogas, álcool e cigarro.

Já o transtorno do pânico é caracterizado pelos ataques de ansiedade. “De repente, a pessoa passa mal, sente falta de ar, taquicardia, problemas no coração e formigamento nas mãos e nos braços. Às vezes, sente que vai morrer. O mais comum nesses casos é ir para o pronto socorro e, após realizar uma série de exames, nenhum problema físico é constatado”, explica o médico.

Pesquisas indicam que esse tipo de ansiedade atinge mais mulheres entre 20 e 30 anos, que sofrem com um estresse ambiental (em casa e/ou no trabalho), tendo uma predisposição genética, isto é, histórico de depressão e ansiedade na família. “Se não for o tipo de transtorno mais comum, é o que mais causa procura de tratamento médico”, avisa Barros sobre o pânico.

Causas

“Os sinais de que a pessoa tem predisposição para desenvolver algum transtorno de ansiedade são: insegurança, medo e pessimismo (ela sente que está mais propensa do que os outros de passar por acontecimentos ruins)”, diz o especialista.

O trabalho estressante pode, sim, ocasionar a ansiedade generalizada, mas, no caso do pânico, ele serve apenas de gatilho. Por trás desse tipo de ansiedade, pode haver muito mais. “Geralmente, acontece quando a pessoa passa também por mudanças, como o nascimento de um filho, um divórcio, uma promoção no emprego ou uma ameaça de demissão.”

Já o transtorno de estresse pós-traumático acomete as pessoas que vivenciaram alguma situação traumática e não conseguem esquecer. Por exemplo, policiais que presenciaram a morte de um colega. E as fobias específicas dizem respeito a medos específicos, como o próprio nome diz, como medo de se relacionar com os outros ou de falar em público.

Como a ansiedade atrapalha a profissão

De acordo com o psiquiatra, o profissional que sofre de ansiedade fica com medo de trabalhar, costuma passar mal, não consegue dar conta do trabalho e, no final, se demite ou pede licença. O ideal é que ele procure ajuda médica. Se tirar um período de férias entre quatro e seis semanas, pode fazer um tratamento.

“O tratamento medicamentoso, associado à psicoterapia, ajuda bastante”, garante Barros. “Ao contrário da crença geral, simplesmente tirar férias não adianta. Os transtornos de ansiedade normalmente são problemas crônicos, que acompanham a pessoa ao longo da vida, exceto nos casos de fobias específicas e transtorno de estresse pós-traumático”.

Quem sofre de transtorno do pânico, por sua vez, deve desenvolver a capacidade de ficar sozinho, o que costuma ser difícil, já que é normal ter medo de passar mal em meio a estranhos. Se a pessoa não encarar o medo, entretanto, pode desenvolver agorafobia, que é a necessidade de estar sempre acompanhada para ir a todos os lugares.

Fonte: Uol

Se tiver dúvidas deixe um comentário! Veja Também...

  1. 7 respostas to “Ansiedade: desvende as causas, os tipos de transtorno e as soluções”

  2. Por Eliana Em Jun 15, 2008 | Responder

    Sempre pensei que a Agorafobia fosse antes do Pânico e se associasse á Sindrome do Pânico se não tratada.

    EU sofro de Agorafobia e quando tinha sido diagnosticada, se saisse e chegasse até 1 lugar amplo ele parecia maior e meus joelhos tremiam e dobravam. Será que fui diagnosticada errado. Tenho 55 anos e fui diagnosticada aos 19 anos.

    Gosto de fica rsozinha e não gosto de sair p/ nada, festas nem pensar! e se o fizer quero ir sozinha.

  3. Por rui fonte Em Mar 19, 2010 | Responder

    esse psiquiatra esqueceu de dizer que tambem pode ter origem quimica ou seja pessoas sem problemas psicologicos ou trabalho,familia,etc pode sem dar por isso sofrer de ansiadade basta uma falha quimica do cerebro apesar de nao passar de teorias medicas afinal nao existe nenhum teste que prove que uma pessoa sofre de ansiadade mas e sempre bom ir ao psiquiatra gastar $$$ e esperar que os medicamentos que ele receite melhorem.

  4. Por Dani Araújo Em Out 2, 2010 | Responder

    Não Fran, não mata, mas tira sua vida.
    Porque você não sai, não interage, não vê pessoas e isso é ruim.
    Mas procure um psiquiatra (porque é preciso tomar remédio pra sair disso) e um psicoterapeuta (que vai te ajudar a lidar com as crises).
    Tenho transtorno do pânico há 4 anos e só agora resolvi tratar, me arrependo, masss … antes tarde do que nunca. Se cuida!

  5. Por Paulo Meneghini Em Out 15, 2010 | Responder

    Grande parte destas doenças de cunho emocional certamente tem origem na nossa vida pregressa. Tudo o que fizemos até os 30 ou 40 anos, irá certamente refletir a partir da meia idade. Entendo que o melhor remédio para tratar de ansiedade e depressão se resume em modificar radicalmente os hábitos, ou seja,estabelecer e cumprir uma dieta alimentar equilibrada, frequentar um grupo religioso, companhia de pessoas positivas, atividade física compatível com o estilo de vida,procurar sorrir mais, filtrar mais certos conteúdos recebidos, selecionar mais, enfim, encarar cada minuto como se fosse o último de sua vida e, se possível abraçar de corpo e alma uma causa coletiva, ou seja, levar um simple brinquedo para crianças de uma vila pobre no natal, visitar idosos em um asilo, integrar uma ONG, não se preocupar demasiado com algo que você não conseguiu realizar no momento, o que vale é tentar ao máximo,colaborar dentro de suas possibilidades físicas, mentais, emocionais e financeiras; conseguir atingir o objetivo são outros quinhentos… Enfim, procurar encarar a vida sob uma nova ótica.

  6. Por VIOLETA Em Mar 2, 2011 | Responder

    Meu medo é de nunca mais mudar,eu nao atendo telefone qdo alguem atende pra mim mando mentir k nao estou eu nao atendo campanhinha,nao gosto de visita,nao consigo e nem gosto k nimguem me comprimente eu nao vou mais a igreja nao gosto,enfim nao consigo retomar a vida de antes já sou antipatizada e solitaria mas gosto de ser assim.Sou extremamente arrogante orgulhosa preguiçosa eu vejo tudo de ruim k esta em mim mas nao consigo mudar será uma doença eu nao era assim.

  7. Por fran Em Ago 24, 2011 | Responder

    sofro a 1 ano com anciedade e com isso tenho varios sintomas dor de cabeca ,dor no peito,falta de ar,sentimento de no na garganta etc…,e varias fobias como medo de ficar sozinha ,medo de ir no mercado ,medo de sair sozinha medo de quase tudo ,queria achar um jeito de sair desse pesadelo ?! vou ficar para sempre assim ???? e perigoso morrer por causa disso se puder me respondam por favor.obrigada.

  8. Por ana paula Em Mar 9, 2012 | Responder

    oi.ha 15 anos tive uma leve depressão em decorencia da separação dos meus pais e fiz 3 anos de terapia e melhorei.mas ha 3anos comecei a me sentir um pouco deprimida no meu antigo emprego.mudei de emprego e era um ambiente muito estressante e tive uma recaida e desenvolvi sindrome do panico e agorofobia.estou em tratamento ha 1 ano e não vi nenhuma melhora.por favor me ajude estou desesperada pois isso tem sido um martirio.sera que devo procurar outro psiquiatra

Poste um comentario