Desembargador analisa pedido de liberdade do casal Nardoni

3,424

O desembargador Caio Eduardo Canguçu de Almeida, do Tribunal de Justiça de São Paulo, analisa nesta segunda-feira o pedido de liberdade para o casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, pai e madrasta da menina Isabella, 5, e acusados formalmente pela Justiça pela morte da garota, ocorrida em 29 de março.

Em entrevista ao “Fantástico”, da Rede Globo, Ana Carolina Oliveira, mãe de Isabella, disse acreditar que o casal tem envolvimento na morte da criança. Para ela, o ciúme de Jatobá pode ter motivado o crime.




Nardoni e Anna Carolina estão presos desde a última quarta-feira (7), quando foi decretada a prisão preventiva do casal. Nardoni permanece nesta segunda-feira no 13º DP (Casa Verde) e Anna, após um protesto das presas da penitenciária feminina de São Paulo (zona norte), onde havia sido levada inicialmente, foi encaminhada para a a penitenciária de Tremembé (147 km de São Paulo).

Nardoni está sozinho na cela. Ele chegou a ser colocado em companhia de outros presos, mas o clima era de tensão e ele teve de ficar isolado. Os cerca de 30 detentos das demais celas da delegacia hostilizaram Nardoni na sexta-feira (9) e escreveram uma mensagem no pátio da carceragem dizendo que não o queriam mais na delegacia.

A Secretaria de Segurança Pública informou nesta segunda-feira que o Dipo (Departamento de Inquéritos e Polícia Judiciária) já recebeu o relatório do 13º DP (Casa Verde) a respeito da situação de Nardoni. O Dipo, por sua vez, pedirá à Justiça a transferência dele da delegacia. Os advogados de defesa avaliam que ele deve ficar na delegacia e informaram que Nardoni não corre risco no local onde está.

Na sexta-feira (9), os advogados do casal solicitaram à Justiça a anulação de despacho que determinou a detenção de Nardoni e Anna Carolina.

O Tribunal de Justiça informou que o pedido dos advogados foi protocolado ainda na sexta-feira e distribuído a Canguçu. Entretanto, ele só deve iniciar a análise do documento nesta segunda-feira. O prazo para a decisão do desembargador –que pode determinar ou não a soltura do casal– não foi confirmado.

Foi Canguçu quem decidiu pela libertação o casal quando eles foram presos temporariamente. O juiz Maurício Fossen, do 2º Tribunal do Júri de Santana, havia determinado a prisão do casal. No dia 11 de abril, o desembargador concedeu o habeas corpus em caráter liminar (provisório) que soltou Alexandre e Anna Carolina. À época ele afirmou que os argumentos para manter os dois presos eram insuficientes.

da Folha Online

Se tiver dúvidas deixe um comentário! Veja Também...

Poste um comentario